domingo, 3 de outubro de 2010

Mudanças?




“É difícil eu sei, encarar a sí mesmo e a realidade na integra de quem somos, ou fazemos, pois somos falíveis, e totalmente passiveis a erros, e que erros! É natural que quando olhamos com um olhar diferenciado e decidido para as verdades incutidas no âmago de nossa alma, nos deparemos com a dolorosa realidade de que falhamos e erramos muito! Tanto com outros como conosco mesmo...”

É triste, penoso e doloroso encarar a verdade sobre nós mesmos! Pois todo o que se considera humano possui muitas limitações e imperfeições! Porem a diferença esta em como lidamos com isso.  Nego a existência dessa realidade? Iludo-me a mim mesma criando constante justificativas e distorcendo a realidade? ou devo ter coragem para primeiramente assumir minhas extremidades falíveis?
Essas são opções comumente escolhidas diariamente por um cardápio variado de pessoas; claro que essa escolha tem muito que a haver com traço de personalidade desenvolvido em cada individuo.

Reconheço que dar o primeiro passo de frente com a verdade do que somos ou fazemos de errado, pode ser por muitas vezes doloroso, porem é um ato de coragem, e é o único meio que permitiria uma brecha para um refinamento de caráter. Por mais constrangedor que isso possa ser, é o primeiro passo para conseguirmos uma mudança. Afinal como poderia mudar uma coisa se desconheço a existência desta? Tenho de identificar e admitir onde está a morada de minhas faltas e meus ardilosos erros diários, para poder tocá-los e assim ter a chance de construir um futuro sem esses erros passados.

Todavia pois, se damos o primeiro passo encarando de frente nossa realidade, assumindo e tomando para si nossas responsabilidades, nossos erros, falhas, limitações, e imperfeições, devo cruzar meus braços porque tive coragem para admitir meus erros? Essa coragem é o suficiente? Ou devo achar fazer disso uma piada em minha vida e levá-lo no humor como algo “bonitinho”?

Creio que este é o passo inicial e essencial, admitir, assumir e identificar o erro, porem o segundo passo é essencial tanto quanto o primeiro, pois um sem o outro se tornaria neutro. Qual o suposto segundo passo dessa caminhada?

É o que me pergunto constantemente...

“Eu quero mudar?”

Esse desejo é real? Quero e desejo quanto essa mudança?

Creio que quando existe uma vontade genuína de mudarmos onde temos errado, mesmo sem saber como ou que fazer para alcançar este objetivo é o que nos basta para atingir o refinamento necessário, pois até aqui creio ser fundamental que façamos. Mas o alem disso quando se torna fora de nossas medidas, o que simplesmente é criador do universo fará por nós se crermos nele!

Creio de todo coração que Deus viabiliza essa mudança, seja ela por pura reflexão e assim a mudança vem naturalmente, seja esta por um milagre advindo da graça e bondade de um Deus poderoso e eterno. Neste segundo ponto, basta crer e com fé buscar, pedir ao Pai eterno em sinceras suplicas e orações. Pedi, pedi e dar-se vos á.

Se pedirmos alguma coisa de acordo com a sua vontade, temos a certeza de que ele nos ouve, e também nos dá o que lhe pedimos. E é da vontade do Senhor que nos refinemos para o Céu, ele viabilizara os milagres necessários para que cresçamos rumo à eternidade.



“Não busco ou desejo um alguém perfeito, mas um ser falível que tenta acertar”


“Pois quando pegar em minha mão para juntos caminharmos, creio que se assim como anseio por por  ser melhor a cada dia, tu ansiares e focares no mesmo, a jornada se tornara suave e concretamente harmoniosa”.