segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Breve Pausa




Estou em meio ao pico do meu expediente, com telefone tocando, e-mails e contratos a fechar, projetos em andamento e expectativa. Mas em meio ao tumulto da ocupação servil, esta uma dor que não quer passar. Estou tão incomodada com alguma coisa que não sei expressar bem o que é, só sei dizer que é semelhante a dor por alguma coisa que não quer passar. Parei tudo, os telefones, e-mails, pautas, amigas, meu chefe, para poder dar essa escapadinha aqui nessa catarse on line que apelidei de diário.
Nas minhas pausas de estresse, faço uma oração, peço ajuda ao único que pode me ajudar. Sei que nele posso descansar meu problemas, as cobranças, metas, injurias e tantas coisas com as quais tentam me pressionar durante o dia.
Sim nas mãos do altíssimo, sei que posso confiar, ele dará um jeitinho, o milagre e o escape sempre chegam na hora certa, sou experiência viva de que ele é poderoso em operar com misericórdia e fazer superabundar à graça onde menos se espera, sei que o dia de hoje é um milagre divino, mas ainda sinto uma dor no peito que não sei por que, por breves momentos da vontade de chorar uma certa saudade, uma certa lacuna, talvez a mesma que Adão sentiu no Jardim após dar o nome aos pares de animaizinhos que para cada espécie possuía seu pertencer. Senhor cuide do meu coração.