sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

2015




❤️ Aprender a ser feliz sozinha

Ser feliz apenas ao lado do companheiro de vida, é colocar sobre ele a responsabilidade por sua felicidade. Ninguém Merece tal peso. Isso é penoso fardo q suscita brechas para muitas expectativas não supridas.
Quando somos felizes por nós mesmos, somam-se as forças. A porção de felicidade de ambos os lados são potencializados, e as brechas para frustrações cerradas. Pois se não preciso do outro para ser feliz, não crio expectativas sobre ele. Não imputo-lhe a responsabilidade de atender minhas expectativas emocionais, pois sei suprir-me sozinha. E estar ao lado de alguém satisfeito e feliz produz em nós a paz tão necessária para viver. Afinal estar contente é ter contentamento interior. É ser Pleno.

❤️ Aprender a amar-se de forma santa 

O princípio da felicidade nasce do princípio do amor próprio. Não amor próprio no que remete a egoísmo e uma vida devotada ao próprio umbigo. Não me refiro a idolatria de ego. 

Mas amor próprio da forma mais santa que se pode existir o amor. Quem ama cuida, se importa, é atencioso, bondoso e piedoso. Não se move com vaidade, mas porta-se humildemente. 

Para amar ao outro na literalidade do verdadeiro amor, é preciso antes amar a si mesmo. A se tratar bem e a gostar da própria companhia.

Amar-se é um grande desafio. Isso implica disciplina e perseverança. É insistir, e perseverar em acariciar virtudes de caráter nobilíssimos. Orar muito, estudar as escrituras. Separar tempo pra ficar a sós com os pensamentos. É cuidar da saúde do corpo. Dormir bem, alimentar-se bem e exercitar-se. É ser piedosa com seus próprios erros. É dedicar a vida em ser atenciosa com as pessoas que a cercam, é enxergar a necessidade alheia, e supri-la. É acariciar a bondade, ser boa com as pessoas e fazer-lhes o bem. Atos de bondade, é ser afetuosa com os que cercam sua vida. É pagar o mal com o bem. Para tanto é necessário ser bom para si. Isso precisa ser natural no tratamento que presta a ti mesmo.