domingo, 3 de outubro de 2010

Primavera

         Completando mais uma Primavera







 

PRIMAVERA

Ela chega discreta
na metamorfose divina
com seus encantos, sua beleza
Seus vários perfumes,
com seu jeito peculiar.

Da vida ao seco
trazendo vigor da florada
uma eclosão de cores
num calor de amores
em uma brisa que enternece.

Crianças brincando na chuva
sobre um céu colorido
olhares sorridentes
pulsando nos movimentos
Ah, doce e bela primavera!

Por entre as flores na primavera,
Entre os vales de outono,
As alegrias de verão


Guia-me há caminhos de honestidade
Longe das dores e amarguras
Livra-me da solidão.


E por todo o percurso que haja em mim esperança!
Permita que não abale em mim a minha perseverança,
Para que meus sonhos tenham o poder de se transformar
E que eu alcance a realidade

Não esqueças da minha fidelidade,
Minha caminhada para te louvar,
Os meus pecados de nada valem
Pois em ti estará a minha fé.

Um pouco mais completa nessa nova primavera
Meu nome: Primavera

video

"Harue: Flor da Primavera"
Aniversário de 23 anos,

Mudanças?




“É difícil eu sei, encarar a sí mesmo e a realidade na integra de quem somos, ou fazemos, pois somos falíveis, e totalmente passiveis a erros, e que erros! É natural que quando olhamos com um olhar diferenciado e decidido para as verdades incutidas no âmago de nossa alma, nos deparemos com a dolorosa realidade de que falhamos e erramos muito! Tanto com outros como conosco mesmo...”

É triste, penoso e doloroso encarar a verdade sobre nós mesmos! Pois todo o que se considera humano possui muitas limitações e imperfeições! Porem a diferença esta em como lidamos com isso.  Nego a existência dessa realidade? Iludo-me a mim mesma criando constante justificativas e distorcendo a realidade? ou devo ter coragem para primeiramente assumir minhas extremidades falíveis?
Essas são opções comumente escolhidas diariamente por um cardápio variado de pessoas; claro que essa escolha tem muito que a haver com traço de personalidade desenvolvido em cada individuo.

Reconheço que dar o primeiro passo de frente com a verdade do que somos ou fazemos de errado, pode ser por muitas vezes doloroso, porem é um ato de coragem, e é o único meio que permitiria uma brecha para um refinamento de caráter. Por mais constrangedor que isso possa ser, é o primeiro passo para conseguirmos uma mudança. Afinal como poderia mudar uma coisa se desconheço a existência desta? Tenho de identificar e admitir onde está a morada de minhas faltas e meus ardilosos erros diários, para poder tocá-los e assim ter a chance de construir um futuro sem esses erros passados.

Todavia pois, se damos o primeiro passo encarando de frente nossa realidade, assumindo e tomando para si nossas responsabilidades, nossos erros, falhas, limitações, e imperfeições, devo cruzar meus braços porque tive coragem para admitir meus erros? Essa coragem é o suficiente? Ou devo achar fazer disso uma piada em minha vida e levá-lo no humor como algo “bonitinho”?

Creio que este é o passo inicial e essencial, admitir, assumir e identificar o erro, porem o segundo passo é essencial tanto quanto o primeiro, pois um sem o outro se tornaria neutro. Qual o suposto segundo passo dessa caminhada?

É o que me pergunto constantemente...

“Eu quero mudar?”

Esse desejo é real? Quero e desejo quanto essa mudança?

Creio que quando existe uma vontade genuína de mudarmos onde temos errado, mesmo sem saber como ou que fazer para alcançar este objetivo é o que nos basta para atingir o refinamento necessário, pois até aqui creio ser fundamental que façamos. Mas o alem disso quando se torna fora de nossas medidas, o que simplesmente é criador do universo fará por nós se crermos nele!

Creio de todo coração que Deus viabiliza essa mudança, seja ela por pura reflexão e assim a mudança vem naturalmente, seja esta por um milagre advindo da graça e bondade de um Deus poderoso e eterno. Neste segundo ponto, basta crer e com fé buscar, pedir ao Pai eterno em sinceras suplicas e orações. Pedi, pedi e dar-se vos á.

Se pedirmos alguma coisa de acordo com a sua vontade, temos a certeza de que ele nos ouve, e também nos dá o que lhe pedimos. E é da vontade do Senhor que nos refinemos para o Céu, ele viabilizara os milagres necessários para que cresçamos rumo à eternidade.



“Não busco ou desejo um alguém perfeito, mas um ser falível que tenta acertar”


“Pois quando pegar em minha mão para juntos caminharmos, creio que se assim como anseio por por  ser melhor a cada dia, tu ansiares e focares no mesmo, a jornada se tornara suave e concretamente harmoniosa”.

Mentiras?




"Se a mentira arruína rapidamente o mentiroso porque as pessoas mentem?"


Fuga? Medo? Mecanismo de defesa? Vontade intencional de enganar a outrem?

Pensei por dias e meses a fio sobre a mentira e entendi que assim como Santo Agostinho já dizia: "Não há mentira, apesar do que se diz, sem intenção, desejo ou vontade de enganar". "Quem enuncia um fato que lhe parece digno de crença ou acerca do qual forma opinião de que é verdadeiro, não mente, mesmo que o fato seja falso". E segundo alguns autores psicanalíticos  a definição de mentiras como mecanismo de defesa, se origina de um possível medo ou falta de coragem de enfrentar-se a sí mesmo, como diagnosticado em variados tipos de personalidades, uns por possuir um ego frágil e por isso não suporta a realidade de seus próprios atos, distorcendo sua realidade ou se acometendo a uma falha-lapso na memória de modo inconsciente. Uns por possuírem uma personalidade neurótica não tratada, outros por capricho não aprendido, ou seja, não foram reforçados a contarem a verdade como algo benéfico e o aprendido torna-se o oposto, comum em crianças. Porem se patológico ou não a mentira tem sido ferramenta para pessoas em graus variados de neurose, seja esta por uma fragilidade da construção do self, ou seja, este do ego. Em fim não por mal em muitos casos, pois se encontra a um nível inconsciente de funcionamento. Porem também é ferramenta para os ordinários inescrupulosos que usam como meio de puro comodismo, como meio aprendido, ou como meio doloso de causar dano intencional a outrem.
“Independentemente da causa, mentiras serão sempre mentiras, é impossível consolidar confiança em algo ou alguém se suas bases têm raízes no engano”.

Mentiras são punhais


Cravados... reais



Na luz do dia… frontais



Na noite…escondidos



Nas sombras fatais




Partiste e como lembrança



Deixaste palavras malditas 



Incertezas mortais 




No rastro frases vendidas 



Gestos...



Olhos mansos nos meus



Suavidade nas mãos 



Sorriso... esse sorriso




Nada sei



Nada tenho 




Ou o que tenho?


Mentiras!




Quem és tu que habitavas os meus sonhos?



Tu que sorridente invadias o meu espaço?




Nada sei de ti 



Dizias tanto e tão pouco 



Em gestos loucos 



Somente o que contavas 



Nas meias palavras de ti 



E dizias palavras tantas



E que sentido tinham 



Na aurora do dia?




Mentiras, mentiras, mentiras 



Que arrancaram aos poucos 



Pedaços de mim




E subitamente vejo-me assim



Tiraste-me o chão...alteraste o norte 



Sem raízes...nem caminhos 



Morri aqui




Quem és tu? 



Quem sou eu?



Quem fomos nós?



"E tudo ruístes por covardia, por contos em fabulas, pela inverdade



Pois tua Ruina sabes que foi Mentira, mentira, mentira"     




Pais e Filhos




Hoje no Culto o sermão fazia uma chamada aos pais no tocante futuro de seus respectivos filhos.

"Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele"


Fiquei profundamente tocada ao ver um vídeo que mostrava uma realidade cruel, dolorosa e rica em ensinamento. No vídeo mostrava o caso de uma garotinha com uma doença grave de pele, tinha feridas por todo corpo, passava noites sem dormir devido à dor que a incomodava constantemente, ela porem não se deu por vencida por sua doença e não mostrava questionar a Deus ou procurar um culpado por sua condição física. Suas doces palavras diziam: “Sinto dores, muita dor, Porem sei que Deus não dá carga maior do que aquelas que possamos suportar”. Mesmo com tudo, essa pequena criança dedicou-se inteiramente a causa de Cristo, dizendo: “O tempo passa muito rápido, devemos usá-lo com sabedoria e pregar as boas novas do evangelho. Porque perdemos tanto tempo? Se temos a verdade porque não a comunicamos? Porque parece ser tão mais fácil contar coisas mentirosas?”.

Em quanto assistia ao testemunho me via como naquele velho ditado: “Em quanto reclamava de meus sapatos furados, deparei-me com aquele que não tinha pés”.

Temos o maldito habito de gastar o nosso precioso tempo com murmurinhos ínfimos, ao invés de expressar gratidão e extrair aprendizados do que nos parece ruim e penoso. Porem se cremos que Deus é conosco e fiel para guiar-nos porque fazemos tão pouco?

Em outros momentos da minha vida, Deus tratou e tocou profundamente em meu âmago acerca de minha ingratidão e meu mal habito de dar-me ao desprezível costume de reclamar e em murmurinhos me expressar. Sim, esse sermão fez-me reafirmar certas lições, Porem muito além dessa mensagem existe uma outra que falou mais alto ao meu coração, “Educação de filhos como Responsabilidade principal dos Pais”.

Sabe... Ainda não tenho filhos, pretendo um dia ser abençoado com a graça da maternidade, porem mesmo não sendo mãe; educação de crianças me fascina e é um assunto que me toca  por breves e longas reflexões sobre esta temática.

Pensando sozinha entendo que "Nenhum pai educará seus filhos se não se educar primeiro".

Nenhum pai disciplinará seus filhos sem que tenha aprendido a disciplina em sua vida. Não se pode esperar filhos tranqüilos se eles mesmos são violentos. Na pior das hipóteses terá filhos reprimidos, sem capacidade de tomar decisões, de agir. Os pais devem ser submissos a Deus, se desejam obediência da parte de seus filhos. A Bíblia ensina isto: “Tu, pois, que ensinas a outrem, não te ensinas a ti mesmo?” (Rm 2.21). os pais precisam de valores para terem o que passar a seus filhos.

Muitos pais pensam que cumprem suas obrigações ao darem colégios, comida e roupas de grife para os filhos. Não os educam. Deixam isto para as escolas. Não os evangelizam. Deixam isto para as professoras da Escola Bíblica e para o pastor. Não ensinam o evangelho em casa. Muitas mães acabam se tornando a doméstica dos filhos, fazendo tudo por eles para que tenham mais tempo para atividades frívolas, em vez de treiná-los a serem pessoas úteis. Há pais crentes que chegam a cúmulo de dar dinheiro aos filhos para comprarem cigarro para evitar que eles consigam dinheiro de maneira desonesta. E, pasmem, há pais crentes que levam filhos ao meretrício para iniciação sexual, para evitar “coisas piores”. Há coisas piores do que atitudes destas?

Como conseqüência, o lar, que deveria ser um paraíso, lugar de ordem, santidade e amor, uma miniatura do céu, degenerou-se em “um ponto de parada para o dia e um estacionamento para a noite”, conforme alguém sucintamente afirmou, Há lares cristãos que são lugares neutros, opacos, sem qualidade espiritual, absolutamente vazios. Há pais que querem dar um céu material e eletrônico, de conveniências, de circunstâncias sociais aos filhos. Esqueceram-se de Deus, do evangelho, da vida cristã. O mundo está ensinando às nossas famílias os seus valores e os da Igreja têm sido desprezados. Mudou o lar cristão. Mudaram os pais cristãos.
    "Deus deseja que nossas famílias sejam símbolos da família do Céu. Conservem pais e filhos em mente este fato cada dia, mantendo entre si relações de membros da família de Deus. Então sua vida será de tal natureza que dará ao mundo uma lição objetiva do que podem ser famílias que amam a Deus e guardam os Seus mandamentos. Cristo será glorificado; Sua paz, graça e amor impregnarão o círculo da família como um precioso perfume".

  "Não há em muitas famílias aquela polidez cristã, aquela verdadeira cortesia, deferência e respeito mútuo que deveriam preparar os membros para se casarem e constituírem por sua vez famílias felizes. Em lugar da paciência, bondade, terna cortesia, e da simpatia e amor cristãos, há palavras ásperas, idéias em conflito e um espírito crítico e ditatorial".




Toda família cristã deve ilustrar ao mundo o poder e a excelência da influência cristã. ... Os pais devem avaliar sua responsabilidade de guardar seu lar livre de toda mancha de mal moral.







"O amor é uma planta de origem celeste, e precisa ser cultivada e nutrida. Corações afetivos, palavras verdadeiras, amoráveis, farão famílias felizes e exercerão influência própria para elevar em todos quantos entram na esfera dessa influência".