sábado, 29 de dezembro de 2012

Os mesmos sonhos


 
 
             Às vezes eu sonho com vc. Com minhas pequenas regando um jardim, sorrindo pra mim. Com todos aqueles bichinhos correndo, quietinhos, soninhos . Dormindo acordada escuto sua serenata bem cedinho, feliz. Ouço chuva, chuviscando, eu sinto me molhando. Com o sol me secando e o céu azulzinho brilhando, com suas nuvens brancas fofinhas sombreando. refrescando ! A brisa suave perpassando, leve. Fresquinha, me abraçando. E todo o verdinho da grama geladinha, com suas arvores frondosas, fartas, frutíferas, vigorosas. Com seus passarinhos em melodias melosas de favor, cantando pra nós amor, amor. O balancinho de madeira que me embala, no balanço, tão alto, descontraído, com fino sonido daquele ocorrido... Resolvido. Vc me fez olhar ao me abraçar, minhas flores a brotar, delicadas, a exalar. Trazendo lembranças... Da saudade a chorar, que por amor a esperar, me faz ansiar. Dos meus sonhos, só mais um estou a guardar. Um maior, superior as minhas expectativas. Vem do céu. Meu presente, favorito, predileto, meu querido meu amigo, meu melhor amor, meu Senhor. 

Só mais um pouquinho.
Meu amor.



domingo, 16 de dezembro de 2012

You are for me


Tão fiel, tão constante, tão amoroso e tão verdadeiro. Tão poderoso em tudo que faz, Você me preenche, Você me vê e vê cada movimento meu. Você ama me ouvir cantar pra você! Eu sei que és por mim, eu sei que você é por mim ! Eu sei que Você nunca vai me abandonar na minha fraqueza, e eu sei que você veio agora mesmo a escrever sobre o meu coração... Para me lembrar quem você é.

Tão paciente, tão gracioso, tão misericordioso e fiel. Tão maravilhoso em tudo que faz
Você me preenche, Você me vê ! Você sabe cada movimento meu, você é tão lindo !

Senhor, eu sei que Tu és por mim, eu sei que Você nunca vai me abandonar na minha fraqueza. Eu o Amo!




“Ninguém é tão rico que não necessite de mais nada. Nem tão pobre que não tenha nada a dar”.

sábado, 15 de dezembro de 2012

No devido tempo





O tempo de Deus ñ é o tempo do homem. Infelizmente, na opinião humana. Felizmente, na opinião de Deus. Para entender isso, a criatura precisa atravessar o vale da dor e da frustração aonde a sua teimosia o leva. Todos somos assim, apressados e imediatistas, queremos que as coisas aconteçam aqui e agora. Talvez porque a vida é curta para realizar tantos sonhos e projetos... Mas se confiarmos no Senhor e partirmos pra batalha e, apesar disso, as coisas ñ saírem como queríamos, é hora de termos paciência. Por os olhos em Jesus e esperar o tempo dEle. Ele virá.  Na hora certa. Nem antes, para que ñ nos deslumbremos, nem depois, para que os inimigos ñ caçoem de nossa fé. O êxito não é uma meta para se alcançar. É um processo que envolve confiança em Deus, luta, esforço, lágrimas, aparentes derrotas e, acima de tudo, paciência.

Hoje é dia de buscarmos os seres que amamos, e dizer-lhes quão valiosos são. Anima-los e encorajá-los. Pois as pessoas são como um espelho. Se vc sorri, elas sorriem; se fechar o rosto, receberá a mesma imagem.


       Por isso quero sair e amar, dar desse precioso amor ! 
Quero te levar no meu olhar, abraçar, falar e cantar, sorrir e apreciar.
Sua presença é tudo o que mais preciso. Fique comigo meu amigo, meu querido, meu Jesus.




Janelas para a vida, Alejandro Bullón, pg 83.

Subir ou Descer?


Algumas vezes vc parou para pensar se desce ou sobe? Ou simplesmente corre de um lado para o outro tentando encontrar a saída? Outro dia, alguém se queixou: "Não sei o q acontece comigo. Trabalho como uma louca, ninguém pode me acusar de preguiçosa, mas não vejo o fruto do meu trabalho!" Já aconteceu isso com você?  será que está confundindo atividade com eficiência?  A pessoa sabia não sai de manhã correndo "como uma louca". Ela coloca a vida nas mãos de Deus, revisa o programa  de atividades, determina prioridades, organiza o trabalho e parte para a execução.
O trabalho que vc tem diante de si pode ser enorme, o sonho que vc quer ver realizado pode ser grande. Mas, se vc for sábio, ñ tentará realizá-lo de uma só vez. Entenderá que toda realização grande é um conjunto de pequenas realizações.  Um tijolo agora, outro mais tarde. Uma parede hoje, outra amanhã. e, em pouco tempo, você verá o edifício acabado. 
A vida é como um prédio. estabeleça metas e avance destemidamente. você nunca está sozinho. Jesus está ao seu lado para animá-lo cada vez que as forças parecerem abandoná-lo.
Suba. A recompensa sempre se encontra em cima.  Descer é fácil. É só para e já começa a retroceder. O caminho dos sábios nos conduz para o alto. 
"Faça de hoje um dia de vitória. Ame, perdoe; peça perdão, revise seus objetivos e seja feliz porque: Pàra o sábio há o caminho da vida que o leva para cima, a fim de evitar o inferno, embaixo"

Janelas para a vida, Alejandro Bullón, pg.82


sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Olhar e confiar


          Ao olhar pra mim, tudo que consigo ver é escuridão. Tudo que parece ser é ilusão. Que aprisiona quem só vive para si. Ao olhar pra mim sinto dores, tenho medo de não ser feliz. São visíveis os efeitos do que eu tanto quis. Já me feri demais, preciso olhar além. Além de mim, além do fim. Além de coisas que perdi. Preciso encontrar sentido em minha cruz. Preciso conhecer a história de outra cruz
           E quando olho para trás... Sou levado a esquecer o que hoje choro. E a mudar as orações que hoje oro. Eu consigo ver além da minha cruz. Quando olho para trás... Noutra cruz eu vejo Cristo abrindo os braços. Ganho forças pra seguir em novos passos. Eu começo a entender o que virá. Através dos planos que Ele irá realizar... Se eu apenas confiar !
           Ao olhar para atrás... Vejo mais que simplesmente uma condenação, vejo marcas, vejo morte que me traz perdão... Tudo que vivo aqui ganha sentido então... Se eu apenas confiar !




quinta-feira, 12 de julho de 2012

Sábado




O Sétimo dia será sempre o favorito, é deleitoso, prazenteiro, cheio de graça especial. Uma porção de amor é generosamente derramada nesse dia. É o dia separado, Santificado. Onde o meu Bondoso Criador o separou para que eu pudesse me abster das preocupações corriqueiras inerentes a esse mundo e assim ser divinamente renovada. Isso me achega ao coração do Pai. Me fortalece e me salva de mim mesma. Seis dias para correr atrás dos meus interesses trabalhos, estudos, lazeres, e afins. Mas o sétimo, ah, o Sétimo é o dia em que eu me abstenho de tudo para ter uma mente e tempo devoto ao meu grande Amor, no encontro mais ansiado da semana, não que nos outros dias não se possa desfrutar da companhia Celestial, aliás, é dever diário buscar amizade de Deus e a ele face a face comungar. Porém no sétimo dia posso abster-me das distrações para apenas Nele, com Ele estar, me derramar, adorar. Sou feliz por meu Criador que com sua infinita sabedoria reservou esse dia para nós dois.

Nesses últimos dias tenho sido interpelada por olhares rasantes de incompreensão e certo espanto quando compartilho desse tesouro tão maravilhoso: Sábado dia de descanso. Dia de descanso das MINHAS obras para Obras direcionadas, obras que me aproximarão do meu Criador. Servir a um irmão dando-lhe um par de ouvidos cheio de compaixão, uma visita a um doente, a um aflito, estar em meio a natureza onde ali esta os restolhos da formosura da criação, levar uma palavra de esperança aos que carecem, cantar, ler e meditar na fonte de vida: A bíblia, refletir sobre as coisas do alto, conversar com o amigo querido e presente Espírito Santo. E fazer tudo ou qualquer coisa que vá me aproximar ainda mais do meu Amado Senhor.

Mesmo nesse mundo arbitrário à lei Divina, mesmo a lei arbitrária inserida no cerne do pecador desde o nascimento, mesmo com todas as intempéries, com toda dor e lástimas terríveis que assolam a alma, com as tentações e investidas cruéis e baixas do tentador, que luta para nos tirar do estreito caminho, que luta para nos distrair, iludir, alienar. Mesmo com tudo, não desistir, Ele vem logo. Não desistir, Ele dará auxilio. NEle há refúgio, socorro, consolo, Redenção e Paz. Mesmo com tudo entendi que o Sábado é especial, mesmo quando sou assaltada, mesmo quando as coisas parecem difíceis, mesmo assim me agarro a Ele. Me apego a sua soberania e reconheço minha dependência e carência dEle.

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Separação




Separados da graça divina, somos forçados a experimentar o pior desamparo. O desamparo do único amor que pode preencher o cerne profundo da carência humana. Por causa da infeliz escolha de Eva em condescender com sua soberba, toda a humanidade geração após geração tem provado o sabor amargo de sua terrível e dolorosa ação.
Dor cruel e dilaceradora...
Hoje me vejo provando desse cálice doído. Por consequência de sua escolha, sou forçada a sentir as agulhadas dessa maldição.
Eu sei que casais se separam o tempo todo. Famílias se desfazem, pais matam filhos e filhos aos seus pais. Homens roubam, maquilham, enganam. Tantas são as tragédias, discórdias, violência. Tanta fome, escassez, doenças e mortes. São tantas as pestilências que nos assola entre o inflar e esvazar dos pulmões. Que sufoca !
Sei que meu queixar dolorido de uma família "formalmente" desfeita, é facilmente compreendido como grão de areia despercebido num vasto mar. Sei que entrever como banalidade qualquer, é a forma mais simplista de negar o sofrer, o ver, e o enlutar.
Mas.. sei que Ele vê, ouve , sente e faz ! Suas mãos acolhedoras é tudo o que quero. É tudo o que pode mensurar as ferpas perpassada por entre os pontos cardeais desse meu coração condoído. Entremeado de uma trêmula convicção sofrível.
Lamentável. Não era plano de Deus que as famílias se desfizessem! mácula ou mancha. definitivamente não era o seu plano original.
Meu consolo é que sei que ao meu lado o Eterno esta.. Suas mãos são tão ternas, e em sua ternura vejo minhas lágrimas se enxugar. A turbulência dos meus sentimentos, dos pensamentos que me congestionam e fazem meu mundo girar. Lanço-os no amparo da âncora que me segura. Ele é o Alfa, Ele é o Ômega. 




Gratidão por esse amor que não se explica... Mas salva.

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Rememória

Lembrei de você, enquanto conversava com meu amigo antes de dormir. Ele me fez lembrar do pedacinho de história que dei a você. Dos 16% de vida e tempo que despojei na sua companhia. Isso me fez lembrar que te odiei muito. Me fez doer, e ter de reconhecer que sufoquei por esses meses todos o meu real sentimento. ódio misturado com rancor. Chorei tudo de novo. Revivi a amargura de seus sintomas. Do restolho resultante de nós dois. Do sabor de ser finamente ludibriada e envolvida nas tramas de suas urdiduras. Tanta inteligência desperdiçada. Tanta concludência atrelada a persuasão imoral. Se rendesse todo esse potencial a nobreza do reino celestial, tão poderosamente seria em utilidade para a causa. Todavia, inclinou-se para o mal de suas enfermidades. Isso me faz refletir uma certa piedade, misturada de inconformação indignante. Por tanta culpa. Culpa por render-me a esse assalto diurno. Por demorar-me a sair de seu embusteiro. 
Mas, finalemente, me pus pronta a reconhecer a veracidade de minha incapacidade de perdoá-lo. De perdoar-me.
Percebendo finalmente a ferida mal curada que ainda me assombrava, entendi a razão da nostalgia vacilante, das cólicas gélidas, ao ter de perpassar por você. Talvez por isso postergo inconscientemente meu sorriso amigável. Por sinceramente não estar nada amável com relação a sua presença e a tudo o que ela representa.
Sei que essa rememória me foi posta para em fim lavar-me do corpo dessa morte. Pois só após reconhecer as verdades ocultas em minha recâmara secreta, pude retirá-la dessa proteção egóica. E em fim... Tratá-la. Finalmente. Mexer no cerne condoído é sempre sofrível. Pedir a Deus o antidoto capaz de curar-me é sem dúvida, o recurso mais eficaz. Por isso essa noite, se fez noite especial. Graças ao meu amigo, que ao conduzir-me a rememória das sórdidas lembranças que me faziam vacilante, expor então, minhas dores mais profundas ao autor da vida. Da minha vida.

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Simples Assim


Muitas pessoas reclamam da correria de suas vidas. Acham que têm compromissos demais e culpam a complexidade do mundo moderno. Entretanto, inúmeras delas multiplicam suas tarefas sem real necessidade.
Viver com simplicidade é uma opção que se faz. Muitas das coisas consideradas imprescindíveis à vida, na realidade, são supérfluas. A rigor, enquanto buscam coisas, as criaturas se esquecem da vida em si.
Angustiadas por múltiplos compromissos, não refletem sobre sua realidade íntima. Olvidam do que gostam, não pensam no que lhes traz paz, enquanto sufocam em buscas vãs. De que adianta ganhar o mundo e perder-se a si próprio? Se a criatura não tomar cuidado, ter e parecer podem tomar o lugar do ser.
Ninguém necessita trocar de carro constantemente, ter incontáveis sapatos, sair todo final de semana. É possível reduzir a própria agitação, conter o consumismo e redescobrir a simplicidade. O simples é aquele que não simula ser o que não é, que não dá demasiada importância a sua imagem, ao que os outros dizem ou pensam dele.
A pessoa simples não calcula os resultados de cada gesto, não tem artimanhas e nem segundas intenções. Ela experiencia a alegria de ser, apenas. Não se trata de levar uma vida inconsciente, mas de reencontrar a própria infância. Mas uma infância como virtude, não como estágio da vida.
Uma infância que não se angustia com as dúvidas de quem ainda tem tudo por fazer e conhecer.
A simplicidade não ignora, apenas aprendeu a valorizar o essencial.
Os pequenos prazeres da vida, uma conversa interessante, olhar as estrelas, andar de mãos dadas, tomar sorvete… Tudo isso compõe a simplicidade do existir.
Não é necessário ter muito dinheiro ou ser importante para ser feliz. Mas é difícil ter felicidade sem tempo para fazer o que se gosta. Não há nada de errado com o dinheiro ou o sucesso. É bom e importante trabalhar, estudar e aperfeiçoar-se. Progredir sempre é uma necessidade humana. Mas isso não implica viver angustiado, enquanto se tenta dar cabo de infinitas atividades. Se o preço do sucesso for ausência de paz, talvez ele não valha a pena. As coisas sempre ficam para trás, mais cedo ou mais tarde. Mas há tesouros imateriais que jamais se esgotam. As amizades genuínas, um amor cultivado, a serenidade e a paz de espírito são alguns deles.
Preste atenção em como você gasta seu tempo. Analise as coisas que valoriza e veja se muitas delas não são apenas um peso desnecessário em sua existência. Experimente desapegar-se dos excessos. Ao optar pela simplicidade, talvez redescubra a alegria de viver.


 By facebook

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Escrever algo...

    Já lhe pediram para escrever algo? Sei lá, algo sobre alguma coisa, fato, situação, alguém ou sobre você mesmo? Ocorre que nem sempre somos escritores natos. Nem sempre, se quer dominamos razoavelmente a nossa língua materna. Regências, concordâncias, regras e excessões( que por sinal são muitas).

    Há de se dizer também, que por não raras vezes nos falta conhecimento do assunto ou quem sabe inspiração e criatividade. Há também aqueles que tem como que uma trava para escrever. De fato, escrever bem é algo para poucos, e eu não ousaria me incluir nesse rol seleto. Já me disseram que no mundo das idéias, as coisas, geralmente, são claras. Mas ao traduzi-la para um papel percebe-se o quão difícil é tal missão. Mas todos podem desenvolvê-la, não importa em qual estágio você se encontre.

    Bem, hoje vim escrever algo. Um algo sobre um tema já definido. Estou pensando, sentindo. Tenho um belo histórico sobre esse tema em minha mente. O tenho vivido, já tenho certa experiência. Não sei ao certo o que dizer, como começar.

    É uma daquelas coisas especias que desejamos fazer, mas tudo o que pensamos em escrever parece ser pequeno demais perto do que em realidade o objeto representa. É uma daquelas ocasiões em que não queremos expressar-se de maneira usual, previsível, igual. Então nos perguntamos: "-O que dizer quando tudo o que de original tem para ser dito parece já ter sido dito por outros?"

    Derrepente percebo que analisando o ser humano, desde os momentos em que se é um bebê, com o desenvolvimento de um cérebro infantil, passando por anos até se chegar à idade adulta onde começamos a pensar por nós mesmos (ou assim ao menos tentamos acreditar), percebe-se, então, que abruptamente, a velhice já bate à porta. E quem diria? Os anos se passaram e estamos velhos.

    " -Como assim? Acabei de começar a aprender alguma coisa sobre a vida, sobre a minha vida. Como pode eu agora com uma mente independente, porém ainda tão infantil estar a ponto de não mais poder pensar e desfrutar de minha recém libertação visto que o desfalecimento definitivo da alma se aproxima?"

    Muitos dizem à respeito de uma pessoa idosa e de rugas evidentes: " -Aí está uma ser humano vivido e com muita experiência". Mas em realidade, por vezes não percebemos que a vida é muito rápida e nosso tempo fugaz. Em verdade somos todos inexperientes, mesmo que cheios de rugas e desgastados fisicamente.

    Ocorre que a pequena diferença acumulada entre as pessoas mais velhas com relação às mais novas, cria a ilusão de que há um grande acúmulo de experiência na vida de alguém. Apesar de essa pequena diferença já fazer toda a diferença em vários momentos da vida, seria esta experiência realmente significativa?

    Crescemos moldados por uma cultura de pensamento cultivada por gerações. Tal modo de vida nos é passado assim como o foi aos nossos pais. Em meio a tudo isso me pergunto quando foi que realmente comecei a pensar por mim mesmo de modo a adquirir condições para originalidades? Sabe, nem sempre é fácil sair da caixinha social, ainda mais quando já se tem toda uma história humana construída, registrada e em contínuo desenvolvimento. Então, em dado momento de nossas vidas nos revoltamos, fazendo tudo do avesso, mas para nosso ingênuo espanto não nos encontramos fora da caixa, mas perfeitamente dentro.

    Não que não haja liberdade dentro da caixa, até porque a libertação tem de partir de algum lugar (de dentro da caixa). Mas a limitação de nosso tempo de vida, desenvolvimento fisiológico, cultural, juntamente com os interesses alienantes da oligarquia dominante, nos dão não mais do que poquíssimo tempo de liberdade no pensar e fazer algo de significativo de nossas vidas.

    Tudo isso, apenas para expor o meu algo de maneira justificada. Pois dentro da minha ignorância preciso dizer meu algo, mas não de maneira original. Ao menos sei que dentro do meu contexto de vida é muito especial. Não por simplesmente sentir ou falar, mas por vivê-lo em ações, harmonia, confidência, e em Deus.

    Sei que falar em Deus já denota para alguns que em verdade continuo como um ser preso e escravo. Mas em meu entendimento foi Ele quem me libertou e me chamou. Creio que não fosse por Ele ninguém teria chance de ser liberto. E creio que apesar das originalidades ocorridas nesta terra, que nos extasiam e possuem seus justos méritos, os mais destacáveis ocorrerão numa nova terra.

    Finalmente, meu algo diz respeito a uma pessoinha especial que Deus me deu. E o meu algo é muito previsível e nada original, entretanto real. Assim como ocorre na vida de muitas outras pessoas.

    - Hei, eu te amo!