quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Saudade do que não vivi



Hoje é daqueles dias que a sensibilidade abre a porta pra sentir a dor da saudade das coisas que ainda não vivi... Dos filhos que ainda não tive, daquele grande dia de dizer Sim, da cerimonia, da alegria de ter a quem pertencer eternamente, das descobertas e aventuras do matrimonio. Dos aniversários e celebrações que a vida se encarrega de trazer.  Das superações de cada luta, de cada desafio. De cada país, de cada cultura e cada lugarzinho que desbravei e fui feliz, de todos os lugares que ainda não conheci, dos sorrisos, dos abraços, das pessoas que vou conhecer e dos amigos que ainda não fiz... Sinto saudade de tudo aquilo que tanto quis e que ainda esta por vir. Mas de todas as saudades existe uma que é insuperável, doída e angustiosa. Saudade da minha verdadeira casa, do meu doce lar. Do desfrutar deleitoso que somente a companhia do meu Eterno amor proporciona.

Já faz algum tempo que me pego doendo por coisas as margens.  
Sinto meu coração apertar ao aconchegar no colo os sobrinhos, os filhos dos amigos - bebês tão lindos,  crescendo velozmente e desabrochando espertas, doces e cheias de vida.  No coração o sopro gélido dos recorrentes pedidos de casamentos que tão criativos, fazem história! Vejo as  lindas fotos de alegres cerimonias, promoções de viagens, e belíssimos lugares dos quais não conheci. Incomoda não saber o dia de amanhã. Ter planos e projetos em andamento (que ainda) tao inseguros não me deixam descansar... Não saber o certo, o desenrolar da maturação de uma vida a dois.. Não sei. Só sei que incomoda. E sei que fé é o único caminho seguro que me trará a paz que preciso pra voltar a sorrir.

sábado, 2 de novembro de 2013

Caminho pedregoso


       O que penso e o que sinto são definitivamente instancias muito peculiares. Distintas e um tanto curiosa. Tenho sido interpelada constantemente com a insinuação de que sou razão e pouca emoção. Penso e não me deixo sentir. Quase uma legalista de primeira classe... ! Será? Refuto mentalmente com o raciocínio simples de que o coração do homem é enganoso, e não é em vão que Deus nos fez seres pensantes dotado de capacidade intelectual, para que através de nossa mente Ele se comunique a nós. E que por vezes terei de fazer o certo mesmo quando minhas emoções forem contraditórias ao principio que rege a norma. Nem tudo o que sinto é santo e nem tudo o que penso é nobre. Mas a orientação divina é irrepreensível e incontestável. Eu o amo e nEle busco meu norte. Ele é meu guia e meu amigo intimo. Pra Ele conto tudo e a Ele abro sem reservas as recamaras escondidas dentro do meu âmago condoído. E por essa razão reconheço minha debilidade em possivelmente usar um raciocínio correto para esconder um fato. E o fato é que de uns tempos pra cá uma goteira constante tem enchido meus olhos de muitas lágrimas, de muita dor. Me sinto vulnerável. Talvez por isso a dureza toda ao tratar de assuntos de amor. Que infelizmente se encontram rancor e dissabor. Que me impulsionam a uma frágil fuga de intelectualização rala e racionalização aparente.
Numa vida amorosa em cinzas...! Nascerá, pois a Fênix ou o pó voara com o sopro quente da próxima estação ? Tudo se perderia? De tudo renasceria algo melhor? O que fazer se não se quer sentir, se não se quer chorar? Apenas estar, e ali parar. Quietinha e lentamente, tão somente respirar e suspirar, e por vezes ignorar. Adiar um problema me fez iludir a crença de que meus sonhos crescentes estavam seguros. Agora que os vi e os percebi... Desfaleci. Foi difícil. Mas reconheci em você aquele amigo-cumplice. Que corajosamente me ouve. Te dói eu sei, corrói. A incerteza do amor e a insegurança que essa tempestade emocional tem ocasionado entre a gente te tem feito sofrer e me feito correr meio contra você. Eu sei. Não tá fácil pra ninguém ! Tá horrível te ver assim. E horrível me sentir assim.
O caminho é pedregoso, sofrível, mas sei que é por aqui que devo andar. Não apenas bisbilhotar, mas encontrar a verdade que nos faz sofrer. Que me faz correr e fugir de você.
Meu coração petrificou. Após a represa de lagrimas ser liberada pra correr solta. Fui me conscientizando gradativamente, e colecionando as gotas gélidas de uma dor constante que em silêncio se formava entre nós dois nesses anos passantes. Á magoa dos sonhos frustrados, perdidos e das expectativas amarguradas são passageiras. Sei disso. Escolhi superar, perdoar. Isso uma hora vai passar. Só que em quanto dói, ganha forças com o medo pseudo-racional dos cálculos odiosos que me perturbam.





quinta-feira, 31 de outubro de 2013

O tempo passa





       A cada ano, em cada aniversário é inevitável impedir a introspecção que me induz a retrospectiva das coisas que se passaram e a reflexão das coisas que se esperam. Nessa primavera senti um sopro gélido de ansiedade misturado com expectativas ruídas que me resultaram em dores estomacais. Tenho tantas coisas a agradecer que me entristeço por me deixar abater vez ou outra pelas tristezas que assolam baixinho.     

      Por esses dias me perguntaram se sou feliz... E pensando sobre isso (mesmo com o coração abatido), tive a convicção que sim. Sou feliz,  graças ao Eterno sou muito feliz, privilegiada e sei que sou muito amada. Sinto os reflexos do Eterno me enternecer em seus cuidados que me embalam sempre que preciso de consolo, de conselho.  Mas o interessante que mesmo tendo a certeza de que Sou feliz, sei que não Estou feliz. É momentâneo sei disso. Vai passar. Mas por em quanto não quer calar. E dói.       


      Não sei bem o que esperar e não consigo ver com perfeição. Meu futuro juntamente das minhas expectativas se embotaram. E me parecem borradas. Por isso os meus suspiros sufocantes pedem ajuda. Suplicante, corro atrás de Seu auxilio. Preciso de esperanças. Espera santificada que colore a alma. Preciso de fé. Crer nas coisas que não consigo ver, mas que tenho certeza de que estão ali. Realizar-se-á. E meus sonhos anelados aos Teus, serão revitalizados como o sol da manhã, que tímido brilhará empolgante. Feliz ! E voltarei a sorrir com borboletas na barriga transmitindo a  alegria que me desperta a paz.

domingo, 18 de agosto de 2013

A voz do silêncio




“Pior do que uma voz que cala, é um silêncio que fala!”


Simples, rápido! E quanta força!

Imediatamente me veio à cabeça situações em que o silêncio me disse verdades terríveis pois, você sabe, o silêncio não é dado a amenidades. Um telefone mudo. Um e-mail que não chega. Um encontro onde nenhum dos dois abre a boca. Silêncios que falam sobre desinteresse, esquecimento, recusas.

Quantas coisas são ditas na quietude, depois de uma discussão. O perdão não vem, nem um beijo, nem uma gargalhada para acabar com o clima de tensão. Só ele permanece imutável, o silêncio, a ante-sala do fim. É mil vezes preferível uma voz que diga coisas que a gente não quer ouvir, pois ao menos as palavras que são ditas indicam uma tentativa de entendimento.
Cordas vocais em funcionamento articulam argumentos, expõem suas queixas, jogam limpo. Já o silêncio arquiteta planos que não são compartilhados. Quando nada é dito, nada fica combinado. Quantas vezes, numa discussão histérica, ouvimos um dos dois gritar: “Diz alguma coisa, mas não fica aí parado me olhando!” É o silêncio de um mandando más notícias para o desespero do outro.
É claro que há muitas situações em que o silêncio é bem-vindo. Para um cara que trabalha com uma britadeira na rua, o silêncio é um bálsamo. Para a professora de uma creche, o silêncio é um presente. Para os seguranças de um show de rock, o silêncio é um sonho. Mesmo no amor, quando a relação é sólida e madura, o silêncio a dois não incomoda, pois é o silêncio da paz.
O único silêncio que perturba é aquele que fala. E fala alto. É quando ninguém bate à nossa porta, não há recados na secretária eletrônica e mesmo assim você entende a mensagem.



Martha Medeiros

terça-feira, 21 de maio de 2013

Crown


Das coroas dessa vida, a mais bela do qual fui presenteada, não foi aquela de portentosa ostentação refletida em um padrão nomeado de beleza. Mas aquela que não é passageira, não envelhece, não deprecia, e seu brilho não se recolhe. A coroa Eterna ! Aquela que emoldura a verdadeira beleza, que profunda reflete os tesouros que não se findam, mas promovem cura. A cora Eterna é sinônimo de Amor, piedade, perdão, sabedoria e mansidão. É o tesouro incomparável, obtido pela Graça e bondade dAquele que por compaixão nos dá deliberadamente desse Amor e Seu favor.
"Dedica grande consideração à sabedoria, e ela te exaltará; abraça-a, e ela te honrará! Ela te coroará com um exuberante diadema de graça sobre tua cabeça e nela fará repousar o esplendor da glória”
Provérbios 4:8-9

Promessas de casamento




"Promete ser fiel na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, amando-lhe e respeitando-lhe até que a morte os separe?" 


Um tanto simplista e um pouco fora da realidade. Dou aqui novas sugestões de sermões:


- Promete não deixar a paixão fazer de você uma pessoa controladora, e sim respeitar a individualidade do seu amado, lembrando sempre que ele não pertence a você e que está ao seu lado por livre e espontânea vontade? 


- Promete saber ser amiga(o) e ser amante, sabendo exatamente quando devem entrar em cena uma e outra, sem que isso lhe transforme numa pessoa de dupla identidade ou numa pessoa menos romântica? 


- Promete fazer da passagem dos anos uma via de amadurecimento e não uma via de cobranças por sonhos idealizados que não chegaram a se concretizar? 


- Promete sentir prazer de estar com a pessoa que você escolheu e ser feliz ao lado dela pelo simples fato de ela ser a pessoa que melhor conhece você e portanto a mais bem preparada para lhe ajudar, assim como você a ela? 

- Promete se deixar conhecer? 


- Promete que seguirá sendo uma pessoa gentil, carinhosa e educada, que não usará a rotina como desculpa para sua falta de humor?

 - Promete que fará sexo com amor, que fará filhos por amor e por vontade, e não porque é o que esperam de você, e que os educará para serem independentes e bem informados sobre a realidade que os aguarda? 


- Promete que não falará mal da pessoa com quem casou só para arrancar risadas dos outros? 


- Promete que a palavra liberdade seguirá tendo a mesma importância que sempre teve na sua vida, que você saberá responsabilizar-se por si mesmo sem ficar escravizado pelo outro e que saberá lidar com sua própria solidão, que casamento algum elimina? 


- Promete que será tão você mesmo quanto era minutos antes de entrar na igreja? 

Sendo assim, declaro-os muito mais que marido e mulher: declaro-os maduros. 

Martha Medeiros 




O contrário do amor



"O contrário do amor não é o ódio, é a indiferença." 

        O ódio é uma maneira de se estar com alguém. Já a indiferença não aceita declarações ou reclamações: seu nome não consta mais do cadastro.Para odiar alguém, precisamos reconhecer que esse alguém existe e que nos provoca sensações, por piores que sejam. Para odiar alguém, precisamos de um coração, ainda que frio, e raciocínio, ainda que doente. Para odiar alguém gastamos energia, neurônios e tempo. Odiar nos dá fios brancos no cabelo, rugas pela face e angústia no peito. Para odiar, necessitamos do objeto do ódio, necessitamos dele nem que seja para dedicar-lhe nosso rancor, nossa ira, nossa pouca sabedoria para entendê-lo e pouco humor para aturá-lo. O ódio, se tivesse uma cor, seria vermelho, tal qual a cor do amor.

Já para sermos indiferentes a alguém, precisamos do quê? De coisa alguma. A pessoa em questão pode saltar de bung-jump, assistir aula de fraque, ganhar um Oscar ou uma prisão perpétua, estamos nem aí. Não julgamos seus atos, não observamos seus modos, não testemunhamos sua existência. Ela não nos exige olhos, boca, coração, cérebro: nosso corpo ignora sua presença, e muito menos se dá conta de sua ausência. Não temos o número do telefone das pessoas para quem não ligamos. A indiferença, se tivesse uma cor, seria cor da água, cor do ar, cor de nada.

Uma criança nunca experimentou essa sensação: ou ela é muito amada, ou criticada pelo que apronta. Uma criança está sempre em uma das pontas da gangorra, adoração ou queixas, mas nunca é ignorada. Só bem mais tarde, quando necessitar de uma atenção que não seja materna ou paterna, é que descobrirá que o amor e o ódio habitam o mesmo universo, enquanto que a indiferença é um exílio no deserto. 
Martha Medeiros

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Independente




“É claro que a melhor maneira de aprender a ser feliz com alguém é ser feliz sozinho. Daí a companhia será uma questão de escolha e não de necessidade”.

sábado, 18 de maio de 2013

Velhos monstros


      


      Velhos monstros, novas teorias. Sou tão rápida com as palavras, voraz. Quase incontrolável. Sinto-me refém daquilo que soa como qualidade. Essa virtude em potencial é uma pobre sina. Um fardo pesado, antigo. Quase um amigo. Só que não. Na maior parte me atrapalha - boicota.
      Gosto das palavras. Gosto de saborear meu curto vocabulário, minha inveterada persuasão nata. Como uma previsível comunicadora, estou sempre comunicando algo, ou alguma coisa. Discorro quase que sistemática e inevitavelmente assuntos quais queres, de forma profusa, por vezes confusa.  Pela vontade de derramar o que de mim transborda. Por impulso espontâneo, inconsciente. Ou quem sabe por necessidade apenas.
        Queria hoje, apenas me livrar de certos assombros que vez ou outra me assolam, afligem, sufocam. São daqueles monstros sabe? Àqueles de sempre, que sempre roubam à graça, o riso, Alívio.  Aqueles que se vestem carentes, que de pouquinho vem e devoram a simplicidade de apenas ser. Ser quem sou apenas. 
         Realçando a vaidade jaz obsoleta, atacam-me. Assim como a inconstância constante. A desordem em ordem.  O tempo passante. Sinto perpassar entre meus dedos o controle descontrolado das coisas que já não sei ser. Que já não mais quero e Já não mais posso ser. 
       Assim pois, mais uma vez, me desafaço e refaço as margens desses percalços. E em silêncio oro baixinho, suplico pequenininho pelo resgate.
       "Resgata-me. Vem e salva-me de mim mesma. De mim mesma!" 
     Pois não sei conduzir-me, me sinto criança ainda pequena. Um grão de areia. Que precisa de direção. Instrução. Me pegue pela mão. 
       Conduza-me. Eleva-me. Cuide bem. Eu sei que me quer bem. Muito bem.


Eterno bem

Save Date!




        ...gratidão.

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Pense




"Não passe sua vida sendo metade do que deveria ser. Sonhos podem sim se realizar. Nunca se subestime. Lute pelo que é correto. Guardar sentimentos dentro de nós só nos deixa doentes. O amor bate em nossas portas de maneiras e formas diferentes. Amar demais nunca é demais, amar de menos é demais. É necessário ouvir a doce voz da consciência. Honestidade é tudo. O caráter é essencial. Abra os olhos para as coisas que realmente importam, descarte o restante. São poucos os que você pode depositar sua confiança, mas esses poucos estarão sempre com você e de uma forma ou outra devem sempre ser lembrados. Não faça da rotina um estilo de vida. Busque novos horizontes. Faça novas descobertas. Ás vezes é preciso mudar. E o mais importante: seja sempre você, e não passe sua vida sendo metade do que deveria ser."

C. Bespalec

domingo, 12 de maio de 2013

Não troque !

"Vejo ser um terrível erro trocar o que se mais quer na vida pelo que se quer no momento"




sexta-feira, 10 de maio de 2013

.Outro encontro




Naqueles encontros solitários comigo mesma, me pego tão frágil, quebrável. Insensível a Sua companhia. Desesperada por Sua presença. Por Seu calor, por todo Amor. E todas as vezes que me vejo solta, desenvolta. Tão independente, e profundamente carente.  Me pego tão faminta. Tão pobre. Ausente. E novamente carente. 
Minhas manias, meus vícios. Tantos inícios.  Sempre agarrada à Sua piedade... Me apego e desapego. Tanto Te quero, e tão pouco Te procuro.  Tanto o amo, e tão pouco te entendo. Não compreendo Sua dimensão, tão pouco todo este amor. Você é um oceano, e eu um grão perdido na Sua imensidão. Tão perfeito, e tão querido. Sempre tão irresistível. Sou sempre tão óbvia e previsível. Mas com você as coisas se tornam Completas. 
...Pro teu colo eu corro, pros Teus braços eu volto, nas tuas mãos me seguro.

sábado, 27 de abril de 2013

Nossos espelhos


    

    Bons filhos conhecem o prefácio da história de seus pais Filhos brilhantes vão muito mais longe, conhecem os capítulos mais importantes das suas vidas.

     Bons jovens se preparam para o sucesso. Jovens brilhantes se preparam para as derrotas. Eles sabem que a vida é um contrato de risco e que não há caminhos sem acidentes.

      Bons jóvens têm sonhos ou disciplina. Jovens brilhantes têm sonhos e disciplina. Pois sonhos sem disciplina produzem pessoas frustradas, que nunca transformam seus sonhos em realidade, e disciplina sem sonhos produz servos, pessoas que executam ordens, que fazem tudo automaticamente e sem pensar. 

      Bons alunos escondem certas intenções, mas alunos fascinantes são transparentes. Eles sabem que quem não é fiel à sua consciência tem uma dívida impagável consigo mesmo. Não querem, como alguns políticos, o sucesso a qualquer preço. Só querem o sucesso conquistado com suor, inteligência e transparência. Pois sabem que é melhor a verdade que dói do que a mentira que produz falso alívio. A grandeza de um ser humano não está no quanto ele sabe mas no quanto ele tem consciência que não sabe. 

    O destino não é frequentemente inevitável, mas uma questão de escolha. Quem faz escolha, escreve sua própria história, constrói seus próprios caminhos. 

      Os sonhos não determinam o lugar onde vocês vão chegar, mas produzem a força necessária para tirá-los do lugar em que vocês estão. Sonhem com as estrelas para que vocês possam pisar pelo menos na Lua. Sonhem com a Lua para que vocês possam pisar pelo menos nos altos montes. Sonhem com os altos montes para que vocês possam ter dignidade quando atravessarem os vales das perdas e das frustrações. Bons alunos aprendem a matemática numérica, alunos fascinantes vão além, aprendem a matemática da emoção, que não tem conta exata e que rompe a regra da lógica. Nessa matemática você só aprende a multiplicar quando aprende a dividir, só consegue ganhar quando aprende a perder, só consegue receber, quando aprende a se doar. 

     Uma pessoa inteligente aprende com os seus erros, uma pessoa sábia vai além, aprende com os erros dos outros, pois é uma grande observadora. 

    Procurem um grande amor na vida e cultivem-no. Pois, sem amor, a vida se torna um rio sem nascente, um mar sem ondas, uma história sem aventura! Mas, nunca esqueçam, em primeiro lugar tenham um caso de amor consigo mesmos.

Augusto Cury

domingo, 7 de abril de 2013

Aceite-se



Melhor é o que se estima em pouco e faz o seu trabalho do que o vanglorioso que tem falta de pão. Prov. 12:9



Mostre-se como é. Seja você mesmo. Não aparência. É trágico andar pela vida mostrando ter ou saber muito, quando, deitado na cama, olhando para o teto, você sente a dor profunda de saber que é pobre e ignorante.

Viver uma vida de mentira não é viver. Seus pés pisam nas nuvens. Longe da realidade, você sofre a irrealidade de uma história que inventou. Alimenta-se em público, dos aplausos e da admiração que as pessoas oferecem ao personagem que você criou, mas que não existe. Quando se encontra só na recâmara de sua própria alma, de onde não pode fugir, olha-se no espelho da realidade e vê o quadro grotesco de uma história em quadrinhos, sem vida e, paradoxalmente, com muita dor, vazio e desespero.

Quando Jesus andava com Seus discípulos, viu de longe uma figueira verde e cheia de folhas. Aproximou-Se dela e não achou frutos. A história relata que Jesus amaldiçoou a figueira. No dia seguinte, ao passar pelo mesmo lugar, os discípulos viram que a árvore estava seca.

Muita gente se pergunta até hoje por que Jesus amaldiçoou a figueira. Porque não tinha frutos? Não. Ser estéril não seria um delito. Ser estéril e aparentar que tinha frutos é o que provocou o desagrado de Jesus. A hipocrisia é repulsiva e nociva. Repulsiva porque as pessoas se afastam. Nociva, porque destrói a própria vida.

Por que dizer que falo inglês, se não falo? Por que afirmar que toco piano, se não tenho essa habilidade? Por que dizer que tenho um carro, se não o tenho? Ou que possuo um doutorado, se não é verdade?

A “maldição” de quem pretende ser o que não é vem em forma de sequidão. Uma vida seca é cruel, angustiante e sem significado. Como o deserto. Terra sedenta, agonizante. Terra condenada.

Aceite seus defeitos e realidades. Reconheça suas carências. Aceite-se como você é. Esse é o primeiro passo no processo de recuperação e cura porque: “Melhor é o que se estima em pouco e faz o seu trabalho do que o vanglorioso que tem falta de pão.”



Meditações Diárias - Janelas para a vida - Alejandro Bullón - Casa Publicadora Brasileira.

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Escolhas


Todos os dias temos que fazer escolhas. Quando fazemos as escolhas certas, a sensação é de bem-estar, sentimo-nos bem com nós mesmos e parece que tudo sorri. Mas não é sempre assim. Por causa do pecado, fazemos escolhas erradas muitas vezes, pedimos perdão a quem magoamos, pedimos perdão a Jesus, mas temos que encarar as consequências de uma decisão mal ponderada.

Lembro-me da história de Judas, aquele discípulo que traiu Jesus. Ele guardava o dinheiro dos apóstolos. Parece que ele gostava de lidar com dinheiro. Mas, por não saber o verdadeiro significado dele, Judas traiu Jesus por 30 moedas de prata. Por causa disso um grande buraco se abriu no coração de Judas. O dinheiro de que tanto gostava trouxe-lhes as mais tristes consequências. Judas não soube fazer a melhor escolha e magoou Jesus.

Todas as vezes que vc tiver que fazer uma escolha, decida sempre por aquela que não vai entristecer o Grande Mestre. Essa sempre será a melhor escolha.

Às vezes as questões são fáceis de decidir. Mas, muitas vezes, as questões que temos que decidir são mais complexas. Nessa hora, é avaliarmos a situação com calma e nunca com ansiedade. Tente prorrogar a decisão ao máximo para ter tempo para orar. Uma escolha bem avaliada tem menor chance de estar errada. Isto ou aquilo? Não importa desde que esteja de acordo com a vontade de Deus!
 
Ivan Saraiva

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Romanos 12

Alegrai-vos na esperança, sede pacientes na tribulação, perseverai na oração. Abençoai os que vos perseguem; abençoai, e não amaldiçoeis.
Vivei em concórdia entre vós. Não sejais arrogantes, mas adotai um comportamento humilde para com todos. Não sejais sábios aos vossos próprios olhos.
Amados, jamais procurai vingar-vos a vós mesmos, mas entregai a ira a Deus, pois está escrito: “Minha é a vingança! Eu retribuirei”, declarou o Senhor. Ao contrário: “Se o teu inimigo tiver fome, dá-lhe de comer; se tiver sede, dá-lhe de beber; porquanto agindo assim amontoarás brasas vivas sobre a cabeça dele. Jamais te entregues ao mal como vencido, mas vence o mal com o bem! 



quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Especial


 Lembro-me de ter no imo a sensação
De que existiria um alguém a me esperar
Que me compreenderia
Sem que precisasse me esforçar tanto para me expressar

Alguém que me ajudasse a descomplicar minhas complicações
Que descodificasse meu sorriso
Meu olhar

Que sentisse minha sensibilidade
A doçura dos doces que guardei

Que desfrutasse da brisa ao meu lado
Das estrelas, do por do sol, da natureza
De toda criação maravilhosa do criador

Alguém inspirado
Que soubesse amar intensa e verdadeiramente
Que me ensinasse amar todos os dias o criador dos céus e terra
E que me ajudasse a ficar mais perto d' Ele

Com o qual minha influencia a ele fosse generosa
E esta o fizesse bem em todos os dias de sua vida...

...

No fundo sempre acreditei
A fé latente pulsava silenciosamente meu coração
Nos dias de solidão

Amparava-me aquela suave voz
Do eterno a dizer-me baixinho
Que você existia

Que guardado anelado
Estava sempre ali
Ao meu lado!

Eu o sentia tão perto
E o colocava tão longe
Meus olhos nublados
Tão obstinados
Não me permitia vê-lo

Foi então que as vertentes ruíram
O que nos separava foi à falência

Pude ver, ter, receber...
Tocar-te com os olhos
com o coração

Te Amar.

Você meu Amor foi derramado em dádiva sobre a minha vida.
Das maravilhas com as quais pude contemplar,
Das bênçãos com as quais pude provar
Você é a boa dádiva com o qual a mim foi derramada.






sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

A Bússula da vida





Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de Mim testificam. João 5:39.
Não basta estudar a Bíblia como se estudam outros livros. A fim de que ela seja entendida de modo a salvar-nos, o Espírito Santo tem de tocar o coração do indagador. O mesmo Espírito que inspirou a Palavra deve inspirar o leitor da Palavra. Então se ouvirá a voz do Céu. “Tua palavra, ó Deus, é a verdade”, será a linguagem do coração.
A mera leitura da Palavra não logrará o resultado desejado pelo Céu; tem de ser estudada e acariciada no coração. O conhecimento de Deus não é alcançado sem esforço mental. Devemos estudar diligentemente a Bíblia, pedindo a Deus o auxílio do Espírito Santo, a fim de que Lhe compreendamos a Palavra. Devemos tomar um versículo e concentrar a mente na tarefa de descobrir o pensamento que Deus colocou para nós nesse versículo. Devemos demorar-nos nesse pensamento, até que se torne nosso e nós saibamos “o que diz o Senhor”.
Pouco benefício se deriva de uma leitura apressada da Bíblia. Pode-se ler a Bíblia inteira, e no entanto deixar de ver sua beleza, ou compreender seu sentido profundo e oculto. Uma só passagem estudada até que seu sentido seja claro à mente, e seja evidente sua relação com o plano da salvação, é de maior valor do que a leitura de muitos capítulos sem ter em vista um propósito definido, e sem alcançar uma instrução positiva. Tende convosco vossa Bíblia. Quando tiverdes oportunidade, lede-a; fixai na memória os textos. Mesmo quando estais andando na rua, podereis ler uma passagem e meditar sobre ela, retendo-a assim na memória.
Tempos que hão de pôr à prova o caráter dos homens estão justamente à nossa frente, e os que são fracos na fé não subsistirão à prova daqueles dias de perigo. As grandes verdades da revelação devem ser estudadas cuidadosamente, pois todos nós necessitamos de um inteligente conhecimento da Palavra de Deus. Mediante o estudo da Bíblia e a diária comunhão com Jesus havemos de alcançar bem definidas idéias da responsabilidade individual e da força necessárias para resistir no dia da prova e tentação. Aquele cuja vida se acha unida a Cristo por elos ocultos será guardado pelo poder de Deus, mediante a fé, para salvação.


Ellen G. White, Nos Lugares Celestiais, pág. 139.

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Reforma já !

Deus requer de Seu povo crescimento contínuo. Devemos aprender que condescender com o apetite constitui o maior embaraço ao cultivo do espírito e à santificação. Apesar de sua adesão à reforma do regime alimentar, muitos seguem regime impróprio. A transigência com o apetite é a causa principal da debilidade física e mental, e é em grande parte responsável pela fraqueza e morte prematura de muitos. Todo indivíduo que aspira à pureza de espírito, deve ter sempre presente que em Cristo há poder para vencer o apetite.




Caráter Divino



“O fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio.” Gálatas 5:22,23


Toda pessoa pode ser justamente aquilo que escolhe ser. O caráter não se obtém mediante educação. O caráter não é obtido acumulando fortunas ou alcançando honra mundana. Não é obtido o caráter pelo fato de travarem outros os combates da vida em nosso lugar. Tem de ser procurado, trabalhado, combatendo-se para alcança-lo; e isso requer propósito, vontade e determinação. Formar um caráter que Deus possa aprovar requer esforço perseverante. Exigirá um constante resistir aos poderes das trevas, colocar-se sob a ensanguentada bandeira do Príncipe Emanuel para ser aprovado no dia do julgamento, e ter o nosso nome conservado no livro da vida.
Que eu tenha a certeza que de que Ele aprova meus atos e minha conduta, e então, venha o que vier, seja as aflições quais forem, vou me resignar ao meu destino e me alegrar no Senhor. Acenderam seu fogo na chama do altar? Então façam com que ela brilhe em boas obras aos que estão ao seu redor. Mantenham-se unidos, e por sua divina influencia e fervorosos esforços, espalhem a luz.
Devemos trabalhar para Deus e devemos trabalhar para o céu com toda força e fé que há em nós. Não nos enganemos com as coisas temporais deta vida. Consideremos as coisas de interesse enterno. Desejo ter uma ligação mais intima com Deus, desejo cantar o hino da redenção no reino da glória. Desejo que a coroa da imortalidade seja colocada sobr a minha fronte.  Com língua imortal, desejo cantar louvores  Áquele que deixou a glória e veio à terra para salvar os que estavam perdidos. Desejo glorifica-lo. Desejo receber a herança imortal e as riquezas eternas. O que nos importa, pergunto-lhe, que importância terão para nós as coisas deste mundo, se perdermos ou ganharmos o céu afinal? De que servirão para nós?  Se, porém, nos apegarmos ás coisas do Céu, vamos nos apegar também aos nossos semelhantes; poderemos exercer uma influencia  que avançará constantemente contra a onda de males que há no mundo e levar pessoas à arca da salvação . 


Perto do Céu, pg 49.

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Descanso do Cristão


               


Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve. 

Mateus 11:28-30


                O mundo está cheio de ansiedade, conflito e dificuldades. É uma terra inimiga em que somos assaltados por tentações de todo lado. “No mundo”, diz Jesus, “passais por aflições; mas tende bom ânimo; Eu venci o mundo” (Jo 16:33); e a Minha paz voz dou” (Jo 14:27).
       Nosso Salvador descreve Seus preceitosa com jugo e a vida cristã como um peso a ser carregado . No entanto, em contraste com o cruel poder de satanás e os fardos impostos pelo pecado, Ele afirma: “O meu jugo é suave, e o meu fardo é leve” (Mt 11:30).
       Quando tentamos viver como cristão que desempenha suas responsabilidades e cumpre seus  deveres sem ter Cristo como ajudador, o jugo é penoso e o fardo, intoleravelmente pesado. Mas Jesus não deseja que façamos isso. [...]
Muitos professam ir a Cristo enquanto se apegam aos seus próprios caminhos, que são um jugo doloroso. Egoísmo, cobiça, ambição, amor do mundo ou algum outro pecado alimentado destroem sua paz e alegria. [...]
       Em cada ato, o cristão deve procurar representar Seu Mestre e fazer Seu serviço parecer atrativo. Que ninguém torne repulsiva a religião, gemendo e suspirando e narrando suas provas, suas abnegações e sacrifícios [...]
Vejam os outros que o amor de Cristo é um motivo permanente, que a religião  de vocês não é uma peça  de vestuário para ser vestida  ou despida segundo as circunstância , mas sim um principio, calmo, estável, firme – que governa toda a sua vida. [...]
       Qualquer que seja sua sorte na vida, lembre-se de que você está a serviço de Cristo e manifeste um espirito contente e agradecido. Seja qual for seu fardo ou cruz, erga-o em nome de Jesus; leve-o na Sua força. [...]
O amor de jesus não pode ser ocultado, mas será visto e sentido. [...]
       Ele faz com que o tímido se torne ousado, o indolente ativo, o ignorante sábio. Torna o gago eloquente, e desperta o intelecto adormecido para uma nova vida e um renovado vigor. [...] Ter paz em cristo é de maior valor do que os tesouros da 
terra.



Perto do Céu, pg 48.