quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Bondade um Dom!

Sejam todos prontos para ouvir, tardios para falar e tardios para irar-se. (Tiago 1:19).

0 Amor é bondoso

Sejam bondosas e compassivas uns para com os outros, 
perdoando-se mutuamente, assim como Deus os perdoou em Cristo. - Efésios 4:32
A bondade é o amor em ação. Se a paciência é a maneira pela qual o amor reage para minimizar uma circunstância negativa, a bondade é a maneira como o amor age para maximizar uma circunstância positiva. A paciência evita o problema; a bondade abençoa. Uma é preventiva, a outra é ativa. Estes dois lados do amor são a pedra fundamental onde são construídos muitos dos outros atributos que discutiremos. 
O amor lhe faz bondosa, e a bondade lhe torna agradável. Quando você é bom, as pessoas desejam ficar ao seu redor. Elas vêem você como sendo bom com elas e para elas. 
A chave bíblica para a importância da bondade é: "Não se afastem de ti a benignidade e a fidelidade; ata-as ao teu pescoço, escreve-as na tábua do teu coração; assim acharás favor e bom entendimento à vista de Deus e dos homens" (Provérbios 3:3-4). Pessoas bondosas acham favor aonde quer que vão, até mesmo em casa. Mas a "bondade" pode parecer um pouco ampla ao ser definida, e principalmente ao ser vivida. Então, vamos dividi-la 
em quatro ingredientes principais: 

Gentileza. Quando você é movido pela bondade, você é cuidadosa no modo como trata as pessoas, nunca sendo rude desnecessariamente. Você é sensível, tenro. Mesmo quando precisar dizer coisas duras, fará um grande esforço para que a sua censura ou provocação soe o mais leve possível. Você fala a verdade em amor.

Prestabilidade. Ser bom significa que você supre as necessidades do momento. Se forem os afazeres domésticos, você se ocupa com eles. Um ouvido? Você dá o seu. A bondade agracia a esposa com a habilidade de servir ao marido sem se preocupar com os seus próprios direitos. A bondade torna o marido curioso para saber as necessidades da esposa, e depois o motiva para ser 
aquele que fará de tudo para suprir essas necessidades - mesmo que as dele sejam postas em segundo plano. 

Boa vontade. A bondade lhe inspira a ser agradável. Ao invés de ser obstinado, relutante ou teimoso, você coopera, é flexível. Em lugar de reclamar ou dar desculpas, você busca razões para se comprometer e ajudar. Um marido gentil acaba com milhares de argumentos em potencial, tendo boa vontade para ouvir primeiro ao invés de exigir que as coisas sejam feitas à sua maneira. 

Iniciativa. A bondade pensa à frente, e dá o primeiro passo. Ela não se senta esperando ser estimulada ou forçada a sair do sofá. A pessoa gentil será o que cumprimenta primeiro, sorri primeiro, serve primeiro e perdoa primeiro. Ele (a) não espera o outro agir para então demonstrar amor. Quando agimos segundo a bondade, vemos as necessidades, e então tomamos a atitude primeiro. 

Jesus descreveu de forma criativa a bondade do amor na parábola do Bom Samaritano, encontrada na Bíblia - Lucas, capítulo 10. Um homem judeu atacado por assaltantes foi deixado 
quase morto em uma estrada deserta. Um sacerdote e um levita, respeitados no meio do povo, passaram pelo outro lado decidindo não parar. Muito ocupados. Muito importantes. Apreciadores de mãos limpas. Mas um homem comum de outra etnia - os odiados samaritanos, cujo ódio pelos judeus era cruel e mútuo - vê o homem em sua necessidade e é movido de compaixão. Atravessando todos os limites culturais e arriscando se expor ao ridículo, ele parou para ajudar o homem. Enfaixando-lhe as feridas e colocando-o sobre seu próprio animal, ele o carrega até uma hospedaria e paga todas as despesas médicas do seu próprio bolso. 
Onde anos de racismo causaram rixa e divisão, um ato de bondade aproximou dois inimigos. Gentilmente, prestativarnente, de boa vontade. Tomando a iniciativa, esse samaritano demonstrou a bondade verdadeira de todas as formas.

A Bíblia descreve uma mulher cujo marido e filhos a abençoam e honram. Entre todos os seus atributos, se destacam estes: "Fala com sabedoria e ensina com amor" (Provérbios 31:26). E você? Como as pessoas lhe descreveria à luz da bondade? Você é áspera? É gentil e prestativa? Você espera que lhe peçam alguma coisa ou você toma a iniciativa de ajudar? Não espere o outro ser bondoso primeiro para que então, você pratique a bondade. 
É difícil expressar amor quando existe pouca ou nenhuma motivação. Mas o amor em sua essência não é baseado em sentimentos. Pelo contrário, faz parte da natureza do amor ter 
consideração e ser atencioso, mesmo quando parece não haver recompensa. Você nunca aprenderá a amar até que aprenda a demonstrar bondade.

Desafio de hoje:

Além de, mais uma vez, não dizer palavras negativas hj, demonstre bondade com, no mínimo, um gesto inesperado a alguém. 

- Anote em algum lugar quando o desafio de hoje estiver completo. 
Que descobertas sobre o amor você fez hoje? O que você fez especificamente com relação a este desafio? Como você demonstrou bondade?

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Virtuosa

1. Temor a Deus: Uma pessoa temente ao Senhor em tudo procura colocá-Lo em primeiro lugar e no centro de sua vida. “São muitas as mulheres de valor, mas tu ultrapassaste a todas! O encanto é enganador e a beleza passageira, a mulher que teme o Senhor, essa sim, merece elogios!” (Provérbios, 31, 29-30).
2. Humildade: Ser uma mulher humilde não é tão fácil quanto parece, porque não existe outra forma de alcançar essa virtude se não for por meio de humilhações. Mas, afinal, quem gosta de ser humilhado? O orgulho nos impede de viver o Evangelho de Jesus, o qual nos ensina a “lavar os pés” dos outros. Aprendi que a humildade é a única base sólida de todas as virtudes. Portanto, se ela é a base, precisamos aprender a acolher as humilhações e transformá-las em salvação. Pensar no outro em primeiro lugar, engolir a resposta que ferirá, servir sem esperar nada em troca, ou seja, ser uma discípula de Jesus.
3. Silêncio: Nós gostamos de conversar muito, mas eu me refiro a um silêncio interior capaz de ouvir a voz de Deus. Silêncio fecundo que purifica a palavra antes de ela ser pronunciada e, assim, ajuda construir o outro e não o destruir. “Ouve, ó filha, vê e inclina o ouvido (…)” (Sl 45,11). É fundamental aprender a ouvir Deus e o próximo. “Mulher sensata e silenciosa é dom do Senhor e nada é comparável à pessoa bem educada.” (Eclo 26,18).
4. Domínio de si: Aprender a dominar-se não é perder a sua personalidade, mas sim aprender a falar na hora e com as palavras certas. Agir por impulso não é uma forma sábia de viver. Quantas vezes colocamos tudo a perder por não sabermos calar? O autodomínio nasce do silêncio que nos impede de agir prontamente. A mulher virtuosa não é frágil, mas cheia de sabedoria e doçura, porque domina suas paixões.
5. Castidade: A mulher casta é aquela capaz de purificar os relacionamentos entre o homem e a mulher, não somente no casamento, mas em todas as relações. A maneira de se vestir, falar, agir e até mesmo de se relacionar exige castidade. A sensualidade deturpa por completo a pureza de uma mulher de Deus. Portanto, seja firme com você mesma e depois com seu namorado ou marido para que essa virtude seja uma marca positiva em você.
6. Ternura: Aprendi com a autora Jo Croissant que a ternura é o amor que se manifesta além das palavras, por meio de um gesto, um carinho, um olhar, uma presença amorosa. Derrete o que é duro, esquenta o que é frio, fortifica o que é fraco e cura o que está ferido. Não queira se impor com uma postura grossa de ser, não vale a pena! Afinal, como é agradável estar perto de uma mulher terna e doce!
7. Sabedoria: A sabedoria não é alcançada por esforço humano, mas uma graça de Deus. A mulher sábia é aquela que luta para viver todas as virtudes citadas acima.
É possível alcançar essas e outras virtudes. A vida nos oferece diariamente oportunidades para colocarmos em prática cada uma delas, basta prestar mais atenção e lutar para ser fiel às moções do alto. Uma mulher virtuosa é cheia do Espírito Santo de Deus. Eu quero ser essa mulher. E você?

domingo, 1 de fevereiro de 2015

O desafio de Amar

O Amor não se irrita facilmente

Melhor é o homem paciente do que o guerreiro, mais vale controlar 
o seu espírito do que conquistar uma cidade. - Provérbios 16:32

O amor é tardio em ofender e pronto a perdoar. Você se irrita e se ofende facilmente? Algumas pessoas têm a frase: "Nunca perca uma oportunidade de ficar chateado com o seu próximo" como lema. Quando alguma coisa dá errada, elas rapidamente conseguem um jeito de se beneficiarem, expressando o quanto estão frustradas ou machucadas. Mas essa reação é oposta ao amor. 
Irritar-se facilmente significa "estar próximo à ponta de uma faca". Não livre de ser ferido. As pessoas que se irritam facilmente são fechadas, oprimidas e prontas para reagir. 

Quando sob pressão, o amor não se irrita. Problemas pequenos não criam grandes contra-ataques. A verdade é, amor não se ira ou se machuca a menos que exista uma razão legítima e justa diante de Deus. Uma pessoa amorosa permanecerá calma e paciente, mostrando misericórdia e contendo seu temperamento. Raiva e violência estão fora de cogitação. A pessoa amorosa não é extremamente sensível ou mal-humorada, mas exerce o autocontrole emocional. Ela prefere ser uma flor entre os espinhos e responde amigavelmente às situações difíceis. 
Se você está caminhando sob a influência do amor, você será motivo de alegria, não de dor. Pergunte a si mesmo, "Sou uma brisa suave ou uma tempestade esperando para agir?" 

Por que as pessoas se irritam facilmente? Existem, pelo menos, duas razões principais que contribuem para isso: 
Estresse. O estresse nos sobrecarrega, suga nossa energia, enfraquece nossa saúde, e nos deixa mal-humorados. O estresse pode ser causado por problemas de relacionamento: discussões, divisões e amargura. Existem as questões de excesso: trabalhar muito, jogar muito e gastar excessivamente, e existem as deficiências: não descansar, não se alimentar e não se exercitar o suficiente. Muitas vezes, nos submetemos a esses males, e isso nos torna irritáveis. 
A vida é uma maratona, não uma corrida de 100 metros rasos. Isto significa que você deve balancear, priorizar e medir seus passos. Com freqüência jogamos a cautela ao vento e corremos disparados, fazendo o que parece correto no momento. Em pouco tempo ficamos sem ar, presos em amarras e prestes a falar de maneira dura. A crescente pressão pode acabar com a nossa 
paciência e, conseqüentemente, com o nosso relacionamento. 
A Bíblia pode nos ajudar a evitar o estresse que é prejudicial à saúde. Ela nos ensina a deixar o amor guiar nosso relacionamento e a não cair em discussões desnecessárias (Colossenses 3:12-14). A orar pelas nossas ansiedades ao invés de lidar com elas por nós mesmos (Filipenses 4:6-7). A delegar tarefas quando estivermos sobrecarregados (Êxodo 18: 17-23). A evitar prazeres excessivos (Provérbios 25:16). 
A Bíblia também nos exorta a guardar o "sábado", tirar um dia por semana para adorar e descansar. Estrategicamente isto nos permite recarregar a bateria, ajustar o foco e acrescentar um tempo para respirar em nossa agenda. Estabelecer esse tipo de espaço extra faz com que os impactos das pressões ao nosso redor sejam amortecidos, reduzindo o estresse que nos mantém no limite com nosso cônjuge. Mas existe uma razão mais profunda que contribui para uma pessoa se irritar facilmente. 
Egoísmo. Quando nos irritamos facilmente, o coração do problema é primeiramente um problema do coração. Jesus disse, "Pois do que há em abundância no coração, disso fala a boca" (Mateus 12:34). Algumas pessoas são como limão: quando a vida as espreme, elas liberam uma resposta azeda. Alguns são mais parecidos com o pêssego: quando pressionados, a resposta ainda é doce. 
Irar-se facilmente é um indicador de que uma área escondida de egoísmo e insegurança está presente onde o amor deveria reinar. Mas o egoísmo também veste muitas outras máscaras: 
A cobiça, por exemplo, é o resultado de ser ingrato pelo que você tem e escolher encobrir ou se apaixonar por algo que é proibido. Quando o coração é ambicioso, ele se irrita e se frustra 
facilmente (Tiago 4:1-3). A amargura cria raiz quando respondemos de maneira crítica e nos recusamos a tratar nossa raiva. A raiva não resolvida de uma pessoa amargurada vem à tona quando é provocada (Efésios 4:31). A ambição por mais dinheiro e posse nos frustrará com desejos inalcançáveis (1 Timóteo 6:9-10). Essas fortes paixões, unidas com a insatisfação, nos levam a ofender qualquer um que esteja em nosso caminho. O orgulho nos leva a agir de forma áspera para protegermos nosso ego e reputação.
Estas motivações nunca serão satisfeitas. Mas quando o amor entra em nosso coração, ele nos acalma e nos inspira a tirar o foco de nós mesmos. Ele liberta nosso entendimento e nos 
ajuda a liberar as coisas desnecessárias. 
O amor nos levará a perdoar ao invés de guardar rancor. A sermos gratos em lugar de mesquinhos. A sermos satisfeitos ao invés de prontos a fazer dívidas. O amor nos encoraja a ficarmos felizes quando o outro é bem sucedido, em lugar de perder o sono de tanta inveja. O amor diz, "compartilhe a herança" ao invés de "dispute com seus parentes". O amor nos lembra de priorizar a família em lugar de sacrificá-la por uma promoção no trabalho. No final das contas, o amor diminui o estresse e ajuda a acabar com o veneno que pode crescer dentro de nós em cada decisão que tomamos. Assim, ele prepara o nosso coração para responder ao nosso cônjuge com paciência! e encorajamento, ao invés de responder com raiva e irritação.

❤️ Desafio de hoje ❤️

Escolha hoje para reagir de maneira amorosa, apesar das circunstâncias. Comece fazendo uma lista das áreas em que você precisa separar um tempo para respirar. Então, faça uma lista das motivações negativas e abra mão delas.


Pense: Em que áreas da sua vida você precisa estabelecer limites? Quando foi a última vez que reagiu de forma exagerada? Qual foi a motivação real por trás disso? Quais foram as decisões que você tomou hoje? 

Por isso procuro sempre conservar minha consciência limpa diante de Deus e dos homens. (Atos 24: 16)

Desafio de amar 6• Dia