terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Desaforo





Meu pico, meu teto, o furor acometido por minha tendência pecaminosa mesmo quando me sinto decepcionada, confirmam fatos sobre mim. Hoje eu senti tanta raiva, que estarrecida por essa densa nuvem negra pairada por sobre as minhas vistas, tive de experimentar o sabor amargo da cólera que me corroeu e dilacerou. Não sei dizer com detalhes, ou de forma organizada sobre o que to sentindo. Mas To! Quero que Passe, pq ao passo que me entorpece, me agoniza, angustia.
To com raiva porque me permiti regredir a um estado primitivo de coisas que ainda não consigo perdoar, me permiti sentir a injustiça machucar e me comandar ao escárnio de por mim mesma buscar ser a justiceira da minha própria causa. Porque faço isso quando sei que tem alguém Soberano que o faz por mim? Minha alma às vezes inquieta me impulsiona e me conduz nessa explosão de não sei o que, por alguém que me enoja. Não, não é certo sentir nojo de ninguém, afinal quem eu penso que sou pra isso? Humana como qualquer outro, passiva a erros como a qualquer outro, mas me enojo e me enjôo com repulsa da minha atitude de saber que sinto isso por outro humano e to sentindo agora! Tira de mim Tudo Isso, Me dê um novo Coração.
Quero Socorro.