sábado, 29 de novembro de 2014

Livre para Amar





“Nas urdiduras do verdadeiro amor, encontra-se a trama perfeita e equilibrada da razão e emoção. São par perfeito. Pois a razão atua na capacidade racional de se escolher o certo. Assim como as emoções nos move ao cultivo puro e irrepreensível de sentimentos sãos - como a piedade e a compaixão.”

O amor possui muitas formas, e suas vertentes são profundas e Perfeitas.

Quem ama de verdade concede ao outro liberdade para ser quem se é. Não tira do outro seu próprio direito de escolha. É deixar o outro livre para gostar ou não gostar do que quiser. Para ir ou não ir onde tiver vontade. Esperar que o outro faça tudo aquilo que queremos é coerção. Isso é egoísmo e não amor. Sim egoísmo. Egoísmo com toda a literalidade que o verbo prediz. 

O resultado disso?
Vc terá uma pessoa que faz tudo contigo não por vontade própria de assim fazê-lo, mas por "medo" de decepcionar suas expectativas. 

O egoísta alimenta-se da necessidade de dominar a outros para suprimento de suas próprias necessidades. "O egoísmo é um comportamento que leva o indivíduo a desejar total exclusividade sobre o sentimento alheio." E como poderia disso subsistir Amor? Sabemos que dois corpos não ocupam o mesmo espaço. Sendo um contraste do outro, como poderia existir amor onde reina seu antagonista? 

Amor é amor. Dói amar. Mas sabe? A dor é oriunda da morte de uma essência má, cuja raiz é o egoísmo no qual já nascemos predispostos a ser. Todavia a parte boa é que por mais que haja inclinação natural para essa terrível condição, também existe em nós potencial para escolhermos e desejarmos o oposto. A escolha e o desejo por Amor e Sabedoria santificados nos concede através de Cristo vitória sobre o pecado natural do egoísmo. À resposta aqui é de facílimo compreensão - "Quem iremos alimentar?.”

Egoísmo ou o Amor? Continuarei a exigir que supram minhas necessidades emocionais a todo custo? Nem que para isso lance mão de manipulação e chantagens constantes? Ou darei a chance de finalmente experimentar o verdadeiro amor? 

O amor próprio quer alimentar a si mesmo desesperadamente, isso é demoníaco e nisso não há justiça. Não há paz. Mas tormento, e disparatada ansiedade. 

Queres mesmo continuar a viver assim? Quanto mais forçamos e insistimos em obter do outro suprimento para as próprias carências impuras e fraudulentas, mais profundo será o vazio. Essa carência que tenta suprir é fraudulenta e impura por ter raiz no orgulho. No desejo insano por reconhecimento. Nisso vejo apenas vaidade em sua mais pura forma. É duelar por um Ego reinante. 

Te digo por convicção santa e por fé esplêndida de que é possível sermos Livres da paixão impura por suprimento de "Ego" - Orgulho, egoísmo e vaidade. Sim, é possível!

Deixemos de alimentar o ego e cultivemos o Amor !

Reflita. Seja sincero, o que tem feito, como e em quais ocasiões se torna exigente com teu próximo, para que supram suas expectativas de amor próprio? Pense bem em todos os momentos que manipulou uma situação ou que insistentemente lutou pela atenção do outro, apenas por querer ser visto, notado, reconhecido? Todas as vezes que esteve obstinado em vencer uma argumentação apenas para sentir-se bem, para sentir que é alguém importante. 
Vc detesta se sentir comum? Anseia por reconhecimento? Intimamente adora a ideia de ser admirado, independentemente de como ou pq?

Pense. Peça ajuda - Ore! Deus revelará teus defeitos e a forma como eles atuam em seus relacionamentos. Ele mostrará a vc, afim de provocar-lhe não mera conscientização dos seus erros, mas comoção profunda. Arrependimento genuíno brotará, e com isso a força que nos move a uma ação santa será fortalecido em nós. Teremos a coragem e motivação para resistirmos a tentação de continuar nesse ciclo vicioso da "auto-veneração". E então seremos livres para Amar.

 É acariciando fervorosamente o Amor que cerraremos as brechas do egoísmo em nossos corações.

E como se cultiva o Amor?
Bem... O amor é sábio e a verdadeira sabedoria se expressa na forma como tratamos os outros. Somos piedosos? Solidários? Prontos a servir? Prontos a honrar?  A perdoar? 

"Quando vemos erros em outros, devemos nos lembrar de que, à vista de Deus, talvez tenhamos faltas mais graves que as faltas que condenamos em nosso irmão. Em vez de publicarmos seus defeitos, peçamos que Deus o abençoe e o ajude a vencer seus erros. Cristo aprovará esse espírito e ação, e abrirá o caminho para que falemos uma palavra de sabedoria que comunique poder e ajuda ao fraco na fé."

Vc honra teu próximo? O princípio da honra reside na simplicidade de ao ver o erro do teu semelhante não expô-lo publicamente a outros. É lembrar-se que vc tanto quanto ele necessitam igualmente de misericórdia e perdão Divino. 

 O amor possui muitas características e por essa razão muitas formas de se expressá-lo. Ser cauteloso com a maneira que falamos com nossos irmãos, e a forma que falamos deles a outros, remete domínio de si mesmo, exige refrear as antigas paixões, o desejo de vingança, destilação de irá, raiva, inveja ou anseio em querer sentir-se superior. 

É fazer visível as virtudes do teu semelhante e em oculto orar fervorosamente pela vitória das falhas de caráter e pecados inconscientes do mesmo, somos em fim achados piedosos, frutíferos no amor. 


Piedade é um dos frutos mais belos do amor. Sabedoria é um precioso fruto que nos move a agir em todos as outras vertentes do amor. Ao tratarmos com paciência, ao abnegarmos nossas paixões naturais afim de expressar misericórdia, gentileza, polidez cristã na forma como me comunico com meus semelhantes, estou sendo frutífero da videira verdadeira. E de mim pode-se achar a graça que superabundou da Cruz de Cristo.